terça-feira, 17 de maio de 2022

O pomar-jardim de Rogeria Maciel

 

      Da semente aos grãos, 2020argila e vidro; Arquivo do onírico, 2021, corpo, sementes crioula argila.  
Fotos de Erica Daniela.


                     Devir árvore, 2021, galhos, tecido de algodão e bordados;  foto de Erica Daniela.  
 À dir.: Foto da artista.

 

O pomar-jardim de Rogeria Maciel

Abre amanhã a exposição Cultivos poéticos para um pomar-jardim, da artista visual Rogeria Maciel, na Galeria Cañizares, às 10 horas da manhã.

A artista produziu obras com espécies de sementes crioulas da Região Sudoeste da Bahia herdadas de seus avós maternos. Nasceu assim a proposta para a exposição, encarada como “cultivo” de um pomar-jardim germinado a partir das “sementes crioulas” deixadas há mais de setenta anos pelos avós maternos da artista, que eram lavradores.

As obras fruto de “semeaduras” e “cultivos” refletem questões da memória mediante a prática de “Arte Vegetal”, e objetivam tratar as afinidades e os conflitos existentes entre a Natureza e o indivíduo, a Vida e a impermanência.

A exposição se estende até 01 de junho de 2022, com visitação de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h.


  




 

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Cultivos poéticos para um pomar-jardim - Rogeria Maciel - 19 de maio a 01 de junho de 2022


 

Cultivos poéticos para um pomar-jardim

Cultivos poéticos para um pomar-jardim é a mais recente exposição que Rogeria Maciel realiza na Galeria Cañizares, com abertura no dia 18 de maio, às 10h da manhã. As obras resultam da pesquisa de Doutorado em finalização, no PPGAV-EBA-UFBA, sob orientação de Viga Gordilho.

Rogéria tomou algumas espécies de sementes crioulas da Região Sudoeste da Bahia como ponto de partida para a realização dos trabalhos, os quais estabelecem narrativas e convergências com a natureza, a paisagem, a ecologia, e as formas e simbologias que se agrupam entre o imaginário e o meio ambiente.

A exposição vai de 19 de maio a 01 de junho de 2022, com visitação de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h.


quinta-feira, 28 de abril de 2022

 

Alô, comunidade! Trago notícias quentes!


Chegou o momento mais desejado destes últimos anos! Não estou cabendo em mim!


Minhas equipes e os artistas expositores estão trabalhando a todo vapor para ela, a mais esperada, a mais amada – a mais tudo:


A minha REABERTURA!


Este meu novo ciclo será inaugurado com uma exposição coletiva (assim que eu gosto, todo mundo junto e misturado). 


Quero convidar toda comunidade para a retomada das minhas atividades presenciais com:


“fronteiras e ficções”, com curadoria de Ines Linke e Lia Krucken, e assistência de Laura Benevides. 


A abertura será realizada aqui, no meu interior, dia 30/04/2022 (sábado!) entre as 14 e 17hs. Vai ser babado.


Estarei também aberta para visitação do dia 02/05/2022 (segunda-feira) até 11/05/2022 (quarta-feira).


Vem me dar um abraço?


Beijos, queijos e carinhos!


Gê.

 


Fronteiras e ficções

A abertura da exposição coletiva Fronteiras e ficções acontece na Galeria Cañizares, na Escola de Belas Artes da UFBA, neste sábado, dia 30 de abril, das 14 às 17h. 

A exposição apresenta trabalhos de Augusto Leal (BA), Dayane Ribeiro (BA), Furtacor (ES/RJ/SP/PA), Ella Franz Rafa (RJ), JeisiEkê de Lundu (MG/BA), Marlon de Paula (MG), Padmateo (BA), Potira (BA/PB) e Zahra Alencar (CE/SP). 

Os artistas participaram da residência virtual "F(r)icções: experiências de/nas fronteiras", realizada pelo Intervalo - Fórum de Arte, em 2021, com curadoria de Ines Linke e Lia Krucken e assistência de Laura Benevides. Esta edição do Intervalo - Fórum de Arte promoveu encontros, diálogos, trocas, interlocuções e participação dos convidados Gabriela Leiria, Pêdra Costa e Tiago Santana.

Visitação de 02 a 11 de maio, segunda a sexta, das 13 às 17h.

📍 Av. Araújo Pinho, 212 - Canela, Salvador - BA



Seleção de pautas para 2022

A Comissão de Coordenação da Galeria Cañizares (constituída pela PORTARIA Nº 001/2022 - EBA/UFBA de 21 de março de 2022, expedida pela Direção da Escola de Belas Artes – EBA), publicou o Edital Interno de Solicitação de Pauta para 2022, objetivando entender as demandas da comunidade interna da EBA para ocupação das pautas.

O Edital foi divulgado de 08 de fevereiro a 19 de março de 2022, e recebeu 11 propostas. Destas, 6 (seis) compunham a demanda espontânea e a estas se juntaram os projetos permanentes realizados na Galeria, de interesse da Escola de Belas Artes – projetos coordenados por professores ou estudantes e que acontecem anual ou bianualmente – e disto resultou a programação da Galeria para este ano.

Para assegurar a lisura da seleção e conforme previsto no item 3 do Edital, uma Comissão de Seleção foi constituída por três membros convidados, sendo dois professores da EBA UFBA: Eriel Araújo e Mike Sam Chagas; e um membro externo, Daniel Rangel, curador do Museu de Arte Moderna da Bahia. Esta Comissão avaliou e atribuiu pontuação aos itens constantes do Formulário de Inscrição relativos às seis propostas, abrangendo Projeto de exposição (aspecto conceitual); Projeto expográfico; Currículo artístico; Portfólio artístico. 

As quatro propostas que receberam maior pontuação compõem a programação da Galeria, e as duas restantes constam na suplência.

Assim, o Cronograma para 2022 prevê os seguintes projetos: Ori, de Mario Vasconcelos (já realizado); Fronteiras e ficções, de Lia Krucken e Ines Linke; Cultivos poéticos para um pomar-jardim, de Rogéria Maciel; Formandos Graduação 2022.1; Docentes em pauta, de Paulo Roberto Ferreira Oliveira e Carlos Eduardo Goes; Imãntações, de Laura Castro; Ex libris, de Daniela Steele e Ines Linke; XII Mostra de Performance: Negrindios, de Ricardo Biriba; Salão da EBA; Exposição do PPGAV EBA UFBA, de Ricardo Bezerra; Formandos Graduação 2022.2; Aniversário da EBA.


 




Nova coordenação

Gente querida, como estamos? Aqui, dividindo para multiplicar. Nestes mais de cinquenta anos de juventude, arte, criação e amor transbordante, já tive diversas configurações. Risos. 

É isso mesmo que está pensando, muitas pessoas especiais marcaram minha vida e coordenação. Vivi os anos 70, sabe como é.

O ano de 2022 começa de forma diferente dos mais recentes. Euzinha, Gê, estou oficialmente acompanhada por uma comissão que foi devidamente formalizada através de Portaria da Direção da Escola de Belas Artes da UFBA. Com esses ares de renovação, apresento a vocês a Comissão de 2022:

Cristiano Piton - Professor Doutor em Artes Visuais, arteiro, aprendiz do samba, técnico em eletrônica, construtor de bibliotecas, palhaço e pai. Ministra as disciplinas Desenho V e Expressão Tridimensional III na Escola de Belas Artes da UFBA. Preside a atual Comissão de Coordenação da Galeria Cañizares, tendo sido o diretor deste espaço em 2020 e 2021 e é o atual coordenador do núcleo de Ambiente Virtual.

Dilson Midlej - Professor Doutor em Artes Visuais, com atuação no ensino de História da Arte na graduação e em componentes na Pós Graduação da Escola de Belas Artes da UFBA. Desenvolve pesquisas sobre arte moderna e contemporânea no Brasil e na Bahia, com ênfase na reutilização e apropriação de imagens. Dilson coordena o núcleo de Comunicação e Mediação da Galeria Cañizares.

Ludmila Britto - Professora Doutora em Artes Visuais, com atuação no ensino de História da Arte na graduação e em componentes na Pós Graduação da Escola de Belas Artes da UFBA. Desenvolve pesquisas sobre coletivos artísticos e integra o GIA (Grupo de Interferência Ambiental), coletivo que explora a arte no espaço urbano. Ludmila coordena o núcleo de Memória e Produção da Galeria Cañizares.

Mike Sam Chagas - Professor Mestre em Artes Visuais, ministra Pintura na Escola de Belas Artes da UFBA. Atua como pintor e ilustrador profissional desde 1998, além de arte-educador e professor particular de pintura e desenho. Desenvolve pesquisa sobre os aspectos históricos e socioculturais dos salões de Fliperama e Diversões Eletrônicas no Brasil. Mike coordena o núcleo de Montagem e Registro da Galeria Cañizares.

Sentiu?

Bem, já começamos as atividades de 2022. A primeira exposição deste ano, ainda sob restrições sanitárias pandêmicas, foi do nosso querido Professor Mário Vasconcelos – ORÍ.

Dica para a calourada – o acervo da EBA conta com uma das obras premiadas deste artista e professor, no casarão. Alguém sabe qual é? 

Em breve mais babados.

Beijos e queijos.

Gê.


terça-feira, 12 de abril de 2022

 



"Nomes da coisa"


Em novembro de 2021 a exposição “Nomes da coisa” movimentou meus espaços. É sempre um prazer receber o pessoal do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia. Minha talentosíssima equipe realizou um belíssimo trabalho de registrar a montagem desta exposição, para vocês terem um gostinho dos meus bastidores.


Destaque especial para as palavras de meu ex (coordenador) Prof. Ricardo Bezerra:

“A seleção de trabalhos apresentados buscaram aproximar os sentidos e a forma de duas linguagens distintas: letras e artes visuais. Parafraseando Clarisse Lispector:  “Quando uma não-palavra morde a isca-palavra uma obra se realizou. A não-palavra incorporou a palavra e vice versa.” O que são não-palavras?  Para nós foram as escolhas dos artistas, que transformaram as coisas em obras, neste caso, pelas sinergias das linguagens.    

Cada artista apresentou uma forma plástica que surgiu dos modos operativos singulares de cada um, sejam trabalhando os materiais a palavra surgiu; que a palavra tenha sido o disparador de uma imagem, sejam de  muitas outras maneiras processuais que imagino estão contempladas nessa exposição. Propor mais do que isso seria controlar muito, seria dizer muito  o que se deve fazer, seria reduzir as possibilidades de combinações  semânticas que poderiam surgir das afinidades e refrações entre as obras.”  

Curtiu?

Segue aqui.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Imagem retangular predominantemente em preto e branco, com efeito de fumaça, contendo 8 integrantes da equipe Galeria Cañizares 2021.2. Apenas silhuetas são visíveis, rostos cobertos por máscaras e iluminação estilo contra-luz.

Eu, Gê Cañizares.


Então é … 


Fim de semestre. E como estamos?


Por aqui, bateria recarregada com tantas atividades, exposições, presenças.


Foi uma alegria estrear no Congresso da UFBA 75 anos. Você não viu? Veja.


Meus pimpolhos fizeram deste um semestre inesquecível. Estão no meu coração. 

Quer a resenha?


Youtube entrega tudo.


O Insta é certamente onde as informações mais quentes e envolventes aparecem.


Quem sabe o que 2022 vai trazer? Mulher, não sei. Só sei que vou aproveitar as férias. Tenho tanto para arrumar, refletir e me preparar para 2022. Mereço uma pequena pausa.


Continuemos nos cuidando.


Com isso, me despeço, respeitável público e pimpolhos queridos.


Olho vivo aqui e no nosso Instagram.


Beijos e queijos,


Gê.


sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

DIBOLSO XX




A imagem é em forma quadrada, e contém riscos diagonais formando triângulos, cada qual contendo um recorte das releituras visuais realizadas pelos artistas da capa do álbum "Sete Desejos" de Alceu Valença.
   



No dia 02/11/2021, a vigésima edixxão, ops, ediÇão da DIBOLSO – número XX – foi liberada. Com “Desejo e Reação” como temática, o processo criativo coletivo teve como ponto de partida o álbum “Sete Desejos” de Alceu Valença. Se quiser aproveitar e colocar a trilha para rolar enquanto aprecia a DIBOLSO XX, bora.


Segue o release:


“Olá!


Este é o lançamento oficial da Dibolso XX, publicação realizada como atividade prática da componente curricular Desenho 5, da Escola de Belas Artes da UFBA. Compartilhamos esse resultado em nossas queridas redes. Esperamos que essa mensagem te encontre com saúde. 


No semestre 2021.2 trabalhamos de forma virtual, buscando proximidades em tempos (ter)remotos. Nas aulas síncronas e assíncronas encaramos telas como interfaces, elaborando motivações didáticas e encantamentos capazes de conectar desejos e motivar reações. 


O tema da Dibolso XX é “Desejo e Reação”. Tivemos como inspiração o disco de Alceu Valença “7 Desejos” (se vc tiver o contato dele, por favor, poderia encaminhar essa mensagem? ;0). Contamos com a participação de Alejandra Muñoz e Tiago Ribeiro.


Desejamos que possa ajudar a expandir nosso alcance e aprecie a imersão, baixando o arquivo ou clicando no link abaixo. Assim reagimos.”


Essa edição é uma viagem – pode baixar o arquivo em PDF aqui


Há hyperlinks espalhados pelas páginas que levam a diversos lugares, portanto explore cada canto e clique, clique, clique. Há muitos destinos, e infinitos caminhos. 


Roda o VT! 


Ei.


Fica aqui.


Brincadeira, vai lá


Sabe, essa publicação já tem anos de existência. Se você gosta de explorar, vai adorar esse lugar (clica).


Só lembra de voltar aqui, teremos surpresas nos próximos dias ... 



– Equipe Galeria Cañizares 2021.2




segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Retângulo com fundo de cor preta, com título em tipografia branca.

 

"Imagens distantes para um tempo presente"

Um vídeo lindo marcou a exposição "Imagens distantes para um tempo presente", com curadoria de Edgard Oliva, fotógrafo e professor da Escola de Belas Artes da UFBA, a segunda exposição do semestre 2021.2 da Galeria Cañizares. 

Artistas participantes:

Jéssica Santos

João Pedro Alencar

Júlia Vasconcelos

Karina Neves

Maína Diniz

Orlando Dantas


A exposição compartilha com o público visitante os resultados de exercícios e práticas fotográficas realizadas na disciplina Fotografia II-A, realizada remotamente. O processo criativo foi orientado por leituras e interpretações de textos compartilhados e discutidos no ambiente coletivo remoto, a partir dos quais os participantes — em seus ambientes presenciais — iniciaram seus próprios processos, trazendo para a representação imagética aquilo que os temas poéticos inspiraram, e que desejaram revelar. 


Seguindo a modalidade remota, "Imagens distantes de um tempo presente" é apresentada ao público na forma de um produto audiovisual belíssimo. Realizado pelos monitores Camilla Motta e Orlando Dantas, o vídeo nos conduz pelas obras e reflexões dos artistas, como num mergulho poético. A data oficial da exposição foi de 17 a 24 de setembro de 2021, e está disponível neste link, que leva ao canal do Youtube da Galeria Cañizares. Lá, você terá acesso a esta, e outras exposições, e atividades da Galeria Cañizares. Esperamos sua visita!


Imagem retangular de uma parte de uma parede em tom avermelhado, contendo no centro uma parede de concreto em tons avermelhados como terra, com o revestimento quebrado no centro expondo tijolos e encanamento – a forma lembrando a anatomia visceral humana.

 

Exposição "Feridas Urbanas"


Neste segundo semestre de 2021, a Galeria Cañizares permaneceu fechada ao público externo. No entanto, as atividades expositivas remotas continuaram. O cronograma de exposições foi definido com base na consulta interna realizada em junho deste mesmo ano, com início em setembro e fim previsto para dezembro. A Galeria continua ativa conforme o Plano de Contingência da UFBA.



A temporada 2021.2 foi inaugurada com a exposição "Feridas Urbanas: uma poética da presentificação pela negatividade da forma", de Paulo Guinho. 



Artista, professor adjunto da Escola de Belas Artes da UFBA, investigador pela CAPES. Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela FACEBA e Mestre em Artes Visuais pelo PPGAV-EBA-UFBA. Desenvolve sua tese de Douturado pelo PPGAV direcionando sua investigação em processos criativos relacionada à arte contemporânea, tendo a cidade como fonte referencial fornecendo os elementos necessários que configuram o lugar praticado como corpo de concretude, onde se debruça sobre aspectos relacionados às feridas urbanas. Nesta proposta, seu trabalho parte da relação simbiótica entre o processo criativo e o domínio técnico, o que direciona suas experimentações com reflexões sobre suas práticas e conceitos que surgem desse debate entre memória, materialidade, suportes e linguagens. Como produto de suas experiências artísticas, teve passagens por exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior.


Durante o mês de agosto de 2021, a exposição ocupou o espaço da Galeria Cañizares, e a visitação virtual tomou forma de uma peça audiovisual realizada pelo coordenador Prof. Dr. Cristiano Piton, que está disponível no canal do YouTube, neste link. No vídeo, Paulo Guinho nos conduz através de cada uma das salas, contando sobre seus processos investigativos e de criação.


Foram ocupadas três salas da Galeria, cada qual com uma série de objetos escultórios em relevo, conforme os três estágios definidos neste trabalho. 


A primeira sala, "Corpo de Concretude", contém uma série que revela as feridas e mazelas da cidade em uma aproximação com a anatomia humana — a cidade como organismo vivo, indo além de suas estruturas materiais, compreendendo também a vida e os corpos que perpassam pela mesma.


"Salvador — Valência" é o nome da segunda sala, que traz a vivência do artista do projeto chamado "Entre Cidades", fruto de sua experiência em Valência, na Espanha. Nesta série a fundição artística é apresentada em sua potência de representação — muito além de apenas técnica ou processo artístico, contendo peças em ligas metálicas, assim como  de fundição a frio como polímeros, epóxis e resinas — cada uma delas correspondendo a pontos específicos da cidade, pelos quais o artista transitou durante sua estada de nove meses. Entre estas, uma série de escayolas, tradicionalmente etapas do processo de fundição, como objetos representativos. 


Somos então conduzidos pelo artista para a terceira sala, chamada "Trilhos da cidade", com obras que evidenciam a relevância do deslocamento, da memória e patrimônio em sua poética. A investigação culmina com cinco ações que definem o "Fluxo contínuo", de acordo com Paulo Guinho:


Conhecer

Criar

Fazer

Refletir

Apresentar


A tese completa está disponível aqui. Você também pode acompanhar o trabalho de Paulo Guinho através do Instagram @paulo.guinho. Lembrando que a visita guiada está disponível no canal da Galeria Cañizares no YouTube. Aguardamos sua visita!


quarta-feira, 17 de novembro de 2021

 

Imagem retangular, contém o texto Diálogo e Trocas. Preencha o nosso formulário.


Diálogos e trocas



A Galeria Cañizares, o espaço expositivo da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, está desenvolvendo um plano de ações composto por um conjunto de atividades que visam a formação de um público participativo e crítico no âmbito das artes, com foco principal nas Artes Visuais.


Com isso, a equipe de Mediação e Comunicação que integra o setor educativo da Galeria Cañizares, vem elaborando algumas ações para criar um espaço de diálogo e trocas entre o espaço expositivo e o público, principalmente aquele  advindo de escolas e instituições de ensino: professores, estudantes e demais profissionais dessa área.


Assim sendo, preparamos um formulário com questões simples para começar a estabelecer este diálogo, para então dar seguimento ao desenvolvimento de materiais didáticos que possam auxiliar professoras e professores de artes.


Para participar e contribuir com as ações da galeria, basta preencher o nosso formulário, disponível no link a seguir:


https://forms.gle/KEJX2SjSEvsFegpA9


Que tal aproveitar para seguir nosso perfil no Instagram @galeriacanizares. As exposições mais recentes e informações mais quentes estarão sempre por lá.


Esperamos sua contribuição!


Equipe de Mediação e Comunicação 2021.